Total de visualizações de página

terça-feira, 8 de março de 2011

Aprendendo com os filhos. Um ato de humildade.

Aprendendo com os filhos. Um ato de humildade.


Neste carnaval, assim como no ano passado, eu e minha casa fomos para casa de meu concunhado e cunhada, a saber, Marcondes, líder do ministério de homens e Alanna, líder de eventos, ambos diáconos em nossa igreja.

Este ano foi bem diferente do ano anterior, choveu desde sábado até segunda-feira noite. Hoje, terça-feira, o dia esboçou um ou dois raios de sol, o que estimulou meu sogro a levar as crianças à praia.

Ao  chegarmos à praia logo percebemos. Não, percebemos não é um bom verbo para expressar o real efeito que nos foi proporcionado ao estarmos naquele lugar. Sentimos, sim, sentimos o vento frio e gélido que veio junto de uma leve garoa que nos cortava o corpo. Não permanecemos mais do que dez minutos ali e, então, decidimos voltar.

Ao  chegarmos a casa, eu estava com meus pés cobertos de areia, mas não aquela areia branca, fininha, que temos na Praia do Forte em Cabo Frio. Era, na verdade, uma areia similar a areia utilizada em obras. Areia lavada. Grossa e extremamente fixante. Não adiantava bater um pé no outro, foi preciso curvar-me para limpá-los. O que fiz prontamente.

Lembrando que minha pequena Marina, filha de minha união com minha amada esposa Elaine, também estava com seus pés cobertos desta mesma areia. Ao me ver curvado, apoiado ao carro de meu concunhado, fez a mesma coisa. Apoiou-se com o bracinho direito no carro, curvou-se e com sua pequena mão limpou os seus pés.

Naquele momento, vi claramente o quanto somos vistos, analisados, observados e copiados pelos nossos filhos. E isso me deixou bastante pensativo a ponto de logo ligar meu laptop e digitar estas linhas.

Ela me ensinou algo tremendo. Aprender é um ato de humildade!

Ela poderia simplesmente fazer do jeito dela, sentar-se ao chão e limpar-se. Mas não. Ela me copiou. Ela fez exatamente como eu fizera. Sem tirar ou acrescentar. Que tamanho ensino eu tive.

Limpar os meus pés não foi um ato que eu premeditei e elaborei para que minha filha me copiasse. Eu simplesmente fiz, e ela o copiou. Neste momento não fui eu quem a ensinou, foi ela que ensinou e eu que aprendi.

Como aquele ser tão pequeno conseguiu captar a essência de um ato tão simples, mas de grande relevância no desenvolvimento de qualquer indivíduo que está debaixo de uma liderança. Essa atitude nos ensina que quando agimos como nossos líderes, demonstramos em ações a seguinte temática: Eu dependo de ti para aprender a ser alguém melhor do que sou.

Se não nos posicionarmos de forma santa não poderemos servir de exemplo para aqueles que dependem de nós para aprender a aprender. Aprender a ser alguém. Aprender a transmitir o valor da humildade a gerações subsequentes. Lembrando que humildade significa reconhecer que dependemos de algo ou alguém superior a nós mesmos.

Ao limpar os seus próprios pés como ela me viu limpar os meus, me ensinou que eu devo me manter limpo para que ela se mantenha também. Não me corromper, para que ela não se corrompa. Não dar mal testemunho para que ela não de mal testemunho. Enfim, ser santo para que Ela seja santa.

Sabe o que é incrível. Não será a primeira e nem a última coisa que minha filha me ensinará. E eu me coloco aos pés do meu amado Senhor Yeshua para aprender com Ele através de sua Escritura, do testemunho e amor de minha esposa, do meu pastor Fabrício Valadares por sua paixão pelo Senhor e por vidas, de meus amados liderados do ministério de louvor por sua dedicação e carinho e especialmente, através de minha filha, a professora!

Shalom em todos

Everson Tavares, diácono.

Um comentário:

  1. Parabéns primeiramente pela filha fofa que vocês dois têm! Ela é linda! E achei o post maravilhoso, justamente por ele ser tão simples e tão verdadeiro, ao mesmo tempo tão rico e tão sábio! Grandes lições são absorvidas assim, no dia-a-dia, nos pequenos gestos. Temos mesmo que nos policiar o tempo todo depois que somos pais. Nossos filhos tendem a nos imitar por nos terem como exemplos. Repetem os nossos acertos e os nossos erros. Que acertemos sempre beeeem mais! A paz! Um abração aos três. Vou escrever um texto no meu blog que, se me permite, vai dialogar com este seu. Posso te linkar lá? www.inquietacoes.blog-se.com.br

    ResponderExcluir