Total de visualizações de página

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Pode o pastor cobrar para pregar? By Renato Vargen




Lamentavelmente se tornou comum os pastores cobrarem para pregar o Evangelho da Salvação Eterna. Infelizmente sei de casos de pastores cobrando até R$ 15 mil para "ministrar" numa conferência. Além disso, muitos destes exigem hotel 5 estrelas, cardápio variado, carro do ano a disposição e segurança full time.


Pois é, definitivamente a pregação do Evangelho tornou-se um grande bussinessonde o mais importante é fechar bons negócios.

Caro leitor, eu sou absolutamente contra aqueles que cobram para pregar. Jesus nunca cobrou para anunciar a salvação, como também nenhum dos apóstolos estabeleceram cachê para anunciar Cristo.   Paulo, apesar de ter experimentado em seus ministério  necessidades que envolvem a obra missionária, nunca exigiu que a igreja lhe enviasse ofertas, antes recebia de bom grado e com ações de graças aquilo que lhe era enviado. A verdade é que nenhum dos apóstolos do Senhor jamais estipularam uma quantia para pregar a palavra de Deus em alguma cidade.

Agora em contrapartida, existem igrejas que tratam o obreiro com enorme descaso. Há pouco soube de um fato escabroso. Uma proeminente comunidade cristã convidou um pastor para pregar em uma conferência. O pastor convidado era de um estado diferente da igreja, o que exigiu com que a viagem acontecesse no seu  próprio carro. Durante três dias o pastor pregou intermitentemente o Evangelho. Ao final do congresso, os seus anfitriões, lhe estenderam a mão agradecendo a sua vinda sem contudo lhe dar uma oferta sequer, isso sem dizer que os hospedeiros tiveram a cara de pau de não pagar as despesas relacionadas a viagem do seu convidado. 

Um amigo meu, líder de uma grande missão brasileira relata que não são poucas as vezes, que recebe de oferta R$ 50,00. Ele conta, que volta e meia viaja horas de carro, ônibus ou avião, se ausentando da igreja a qual é pastor, deixando em casa mulher e filhos, e que ao final da conferência recebe  no máximo 100 pratas de oferta.

Prezado amigo, vamos combinar uma coisa? Sou absolutamente contra quem cobra para pregar o Evangelho, entretanto, não concordo com aqueles que agem com descaso não horando com dignidade os seus convidados. Há pouco, soube de um relato de um pastor que foi convidado para ser preletor de uma grande conferência, não é que a igreja que o convidou queria cobrar dele a inscrição no congresso? Veja bem, ele seria o preletor, e ainda assim queriam que ele pagasse a inscrição, mesmo porque, ele iria comer no local. Ora, isso é um deboche!

Pois é, bom senso nessas horas é fundamental. Sem sombra de dúvidas o pastor não deve cobrar para pregar, mas em contrapartida a igreja deve tratar seus convidados com decência e dignidade. Tirar o pastor de sua igreja e família e lhe dar "esmolas" ao final do culto afronta os ensinos bíblicos.

Diante disto minha sugestão é que a igreja pense duas vezes em convidar alguém para pregar. Se ela não tem condições de arcar com as despesas relacionadas a hospedagem, transporte e oferta, é melhor não convidar.  Se não possui condições de cobrir as despesas mínimas, não convide ninguém, se organize, se capitalize, e no tempo certo convide alguém para pregar.

Pense nisso!

Renato Vargens

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Testemunho de Everson - Curado da Sindrome de Guillain Barré


Testemunhando no dia da minha consagração a presbítero


D’us, o milagre e eu

Bom, minha experiência começou na terça-feira, dia 11 de outubro quando fui ao UPA de Cabo Frio, andando normalmente às 8:00hs da manhã. Eu fui lá, pois estava tossindo muito e sentia o peito doer. Fui atendido, recebi uma receita e fui embora. Durante aquele dia eu fiquei em casa tomando o medicamento. A noite veio, dormi e para minha surpresa, ao acordar eu não sentia minhas pernas, e minhas mãos estavam formigando. Achei que estivesse tendo uma reação alérgica ou uma intoxicação medicamentosa devido a quantidade de remédio que me foi passada.

Pensei que fosse passar naquele mesmo dia, engano meu. Os sintomas só aumentavam e no dia seguinte eu já estava com o meu abdômen dormente, minha visão estava dupla, as mãos sem sensibilidade e não consegui ficar de pé sozinho. Meu tio me levou ao UPA e fui escorado nele. Lá, após uns 40 minutos fui atendido e sem nenhum exame o médico me liberou sem examinar, sem me receitar nada. Disse que o que eu tinha era uma intoxicação medicamentosa e em dois dias estaria normal.

Passado os dois dias nada melhorou e só piorava. No sábado, pela manhã, meu sogro e minha sogra estiveram em casa e vendo o meu estado correram comigo para o UPA (Novamente), fui escorado no meu sogro e na minha esposa. Chegando lá às 12 horas fui atendido pela doutora Quésia, que foi da Assembleia de D’us, matriz, Cabo Frio junto com minha esposa. Ela fez todo o procedimento devido, pediu exame de sangue, radiografia de pulmão e tomografia computadorizada (TC). Fiquei no soro, eu estava muito debilitado e ir para a sala de soro me deixou muito mal, visto que eu não conseguia respirar quando sentado. Foi quando chegaram Vinicius e Uel, e conseguiram uma maca para eu deitar, o que foi ótimo, pois deitado eu consegui respirar melhor. Horas se passaram até que o resultado chegou. Pelo exame de sangue não havia nada demais, era necessário a TC, e a UPA não queria fazer o procedimento.

Isso, mesmo, o UPA não queria fazer este procedimento. Graças a D’us pelo apoio do meus irmãos em Cristo que lá estavam. Foi quando Silas Bento em contato com Michele e Uel soube do acontecido e correu pra lá. Logo após a chegada dele, foi providenciado o TC. Levaram-me para o HCE de Cabo Frio e lá realizaram o exame. Nada constou, e o neurocirurgião me sugeriu procuram um neurologista. Voltei para o UPA e me liberaram. Isso mesmo! Fui liberado sem medicamento, saindo na cadeira de rodas e muito mal. 


No domingo, já não tinha controle motor nenhum, respirava muito mal, sem paladar e sem sentir meus dentes. Foi um domingo difícil. Na segunda-feira, a ambulância da UPA foi me buscar em casa. Cheguei lá por volta das 11 horas da manhã. Foi me dito que uma neurologista iria ver o meu caso. Horas se passaram e eu estava na sala amarela muito mal. Tínhamos marcado uma consulta com um doutor que achávamos ser neurologista, mas que era neurocirurgião, e as horas se passavam e minha esposa não sabia o que fazer. Foi quando deu 15:40hs e a doutora Tânia, neurocirurgiã, me atendeu, viu minha TC e disse que meu caso era preciso de um neurologista, que meu caso não era cirúrgico, era clinico.

Estava realmente mal, parecia um doente com Alzheimer e Parkinson juntos. A doutora me liberou e ao sair fui escorado nos ombros do Evangelista Gilson e o obreiro Uel. Na verdade fui arrastado, não consegui nem me colocar de pé com ajuda. Ao chegarmos na saída onde as ambulâncias ficam, fomos chamados por um enfermeiro que disse que a doutora voltara atrás e pré-diagnosticara o meu estado e que era sério. Foi aí que a ficha caiu, e minha esposa ficou muito nervosa: chorou. E eu ao vê-la daquele jeito fiquei muito preocupado com ela.

Voltamos, e nos colocaram em uma sala chamada “ISOLAMENTO”. Como fiquei tenso naquele momento! A doutora nos disse de forma bem direta: “O que você tem é uma síndrome chamada Guillen Barreé! Muito séria, pode levar a uma vida com sequelas , vegetativa ou a morte se não tratada no inicio”. No meu caso, havia passado seis dias sem medicamento ou tratamento qualquer. Neste momento, eu e minha esposa choramos por não mais que quinze segundos, isso mesmo, quinze segundos. Onde tudo que poderia ser ruim passara na minha cabeça. Então, o Espírito do Senhor deu a Elaine, minha esposa, uma palavra e ela me disse: “Se te mostrares frouxo no dia da angustia a sua força será pequena!”


O procedimento feito pela doutora foi a retirada do líquido da coluna, o líquor. E retirada de sangue. Resultados só sairiam no dia seguinte.

Naquele momento o Senhor me disse: “ Você não prega que Eu sou Soberano? Que Eu estou no controle de tudo? Que Eu sou o Todo Poderoso?” Como eu fiquei envergonhado naquele momento! Enxugamos as lágrimas e levantamos nossa cabeça! O Espírito do Senhor me deu força e me consolou, e logo eu pude falar: “Elaine, se o resultado for negativo ou positivo, D’us está no controle de tudo! E valerá a pena passar por tudo com Ele.

Minha esposa cantava a canção do Juliano Song: Vai valer a pena. E eu chorava de alegria por saber que mesmo naquela situação eu pude testemunhar de minha fé em Yeshua. Embora estivesse confiante no Senhor, minha mente estava muito agitada. Eu estava ali na sala de isolamento, soro no braço e cortisona na veia. As 22:00 horas minha esposa saiu da sala e logo voltou com um enfermeiro que me trouxera um diazepan  de 5 mg e não fez efeiro nenhum. Duas horas depois voltou uma enfermeira com mais um comprimido de 5 mg e então eu apaguei.

Acordei às 4 horas da manhã com a enfermeira me injetando cortisona novamente.  Voltei a dormir e as oito eu acordei para o café da manhã. Foi aí que tive a grata alegria de poder levar o copo a minha boca e não entornar. O controle de minhas mãos havia retornado, respirava bem melhor e já conseguia ir ao banheiro, que havia no “meu quarto particular”, com a ajuda de minha esposa.  Demos graças a D’us por isso! Comecei a cantar a canção do Fernandinho: “O meu D’us é Soberano! O meu D’us é Soberano! Se o meu coração parar de bater, Ele sopra em minhas narinas e me traz de volta a vida!

Falaram-nos que um neurologista iria me ver e isso não aconteceu. Quase noitinha chegou um neurocirurgião que foi atender um acidentado e minha esposa aproveitou para chamá-lo. A resposta dele ao meu caso foi que o diagnostico da doutora já estava dado. Minha esposa o pediu que fosse me ver e me explicar sobre tudo. Ao entrar no quarto, ele me fez 
uma série de perguntas e pediu para fazer alguns movimentos, os quais eu já havia decorado: mão direita no nariz, depois a esquerda, juntar as mão...



Então, ele virou-se pra minha esposa e disse: “Senhora Elaine, eu quero retirar o que eu disse. Ele não tem a síndrome, ele pode até ter uma inflamação no cerebelo.” Neste momento, minha sogra estava junto conosco e nós choramos muito agradecendo ao Senhor. Fui liberado às 21 horas, fui pra casa de minha sogra com meu concunhado, amigo e irmão, o Pb. Marcondes, eu o vi chorar pela primeira vez. Lá jantei, oramos, minha cunha Allana tocou muito fundo no meu coração com sua oração e choramos na presença de D’us. Fomos embora.

No dia seguinte fomos ao doutor Alan, neurocirurgião, que me pediu uma ressonância magnética (RM)e um exame do licor, pois disse que o que eu tinha não prestava pra nada, suas palavras. Fomos embora, a mãe de nosso pastor nos indicou o doutor Luiz Carlos, em Araruama. Mais um milagre de D’us, conseguimos horário para o dia seguinte às 15:30hs. Fiz minha RM pela manhã e a tarde, um amigo meu, chamado Flávio Gallo, nos levou ao médico.

Entrei andando, fraco ainda, falando e vendo normalmente. O doutor ficou surpreso por me ver daquele estado. Ele me disse que eu era um sortudo da Mega Sena, porque pelos exames de lícor, RM e devido ao meu relato eu tive a síndrome e ela recuou. Eu fui um sortudo disse ele por três vezes. E eu disse pra ele que para mim era um MILAGRE! Passou Meticorten e Milgama. Gradativamente sentia minhas forças voltarem, em uma semana já podia andar e dirigir. Fico ainda um pouco cansado, o que é normal para uma recuperação após uma síndrome tão forte. Não tão forte quanto o Senhor dos Exércitos. 


Três semanas após minha alta e milagres, fui consagrado a presbítero. E eu estava de pé e junto comigo Yeshua, meu Salvador e Rei!

 Deus, o milagre e eu! Agradeço ao Eterno por tudo que Ele fez através de Seu filho Yeshua e toda a Igreja do Senhor.

Não murmure, não duvide! Yeshua pode realizar não um, mas vários milagres na sua vida!

Shalom

Everson Tavares, presbítero e sempre servo do Messias Yeshua







sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Decidir!




Estou lendo "O LIVRO DOS MÁRTIRES", presente da minha filha e da minha esposa. Como me sinto envergonhado por não ser tão FIEL ao Senhor como deveria. 

Preciso buscá-lO mais, me dedicar a Ele mais, abrir mão de coisas que me dão prazer e me dão segurança, ou uma pseudo-segurança. 

Cheguei a uma encruzilhada em minha vida; abrir mão de um de meus empregos ou não, por Cristo? Já decidi! Se os mártires foram capazes de abrir mão da vida, o que é um emprego diante da SOBERANIA de D'us e de Seu cuidado e de Sua segurança?

Amá-lo é abrir mão de minhas vontades e pegar a minha cruz e seguí-lo.

Seguir a Yeshua, o meu Cristo!

Shalom


segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Aniversário Surpresa! Everson Tavares!

Segue abaixo as fotos da surpresa que o ministério de louvor Geração Livre me fez. Foi realmente surpreendente! Não esperava! Não esperava mesmo!

Amo muito este povo...Já tinham meu coração! Agora, então, me conquistaram por completo!




Ministério de Louvor Geração Livre

Só os marmanjosssssssss!

Só as ladiessssssssss.

Que cara é essa? Sem palavras!

O bolo estava fantástico! By Marcão!


Fiquei muito feliz por eles e por elas. Muioto feliz mesmo!


Shalom

Everson

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Consagração de obreiros, diáconos e presbíteros no CEI de Cabo Frio



Numa noite tão linda quanto esta, domingo 6 de novembro de 2011, tivemos a honra de sermos apresentados e consagrados ao ministério.



Eu, pessoalmente, não sei como expressar tamanha gratidão e alegria pelo Senhor me conceder a oportunidade de estar de pé e na noite de minha consagração ter dado o testemunho dos milagres que recebi desda súbita aparição de uma sindrome chamada Guillen Barré. Milagres, muitos os foram desde do dia 12 de outubro até hoje!


Curado, alcançado pela graça do Eterno. Eu me sinto um filho com um Pai que não saiu de perto um segundo se quer do meu lado nestes momentos tão difíceis. E como sei que Ele sempre estaá presente. Alí, naquele momento de sofrimento e angústia eu pude ver e vivênciar D'us. Ele e eu juntinhos através de Seu filho Yeshua, meu Cristo!

Minha esposa, a Dca. Elaine tem sido e sempre foi presente em todos os bons e maus momentos e no dia mal ela foi inspirada por D'us para me por de pé! Amo muito esta artista adoradora de D'us! Ela me emociona com sua simplicidade, como ela ama Jesus, o nosso BEM MAIOR!

Em breve estarei postando o meu testemunho, como tudo aconteceu na minha vida.
O tema eu já tenho:

Eu, o Soberano e o milagre!

Um grande abraço a todos vocês que estiveram e estão presentes em minha vida quer pessoalmente quer em espírito.

Shalom

Everson Tavares, Presbítero, mas sempre SERVO!