Total de visualizações de página

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

“Os caminhos de Deus sempre serão melhores que os meus"


Que caminho tomar, o meu o ou Seu , Senhor?




Estava conversando com a Pâmela, futura senhora Cordeiro e surgiu o tema por ela sugerido para este post: “Os caminhos de Deus sempre serão melhores que os meus", o qual eu discorro abaixo.

Recordando o meu período de estudos na faculdade, principalmente das aulas de literatura. Lembrei-me de um professor chamado Jurandir que costumava falar que literatura e história estavam firmemente entrelaçadas e mescladas. O homem que escreve sobre a história segundo o seu ponto de vista e segundo o seu ponto de vista faz a história.

Da ação do homem surgem as fases da literatura chamadas de períodos literários. Fases estas que refletem nada mais nada menos do que as ideias filosóficas as quais montam uma fatia da história global. De Anchieta ao barroco, do Romantismo ao Simbolismo passando pelo Realismo, Naturalismo e Parnasianismo. Do pré-modernismo ao olho do furacão ao qual nos encontramos hoje, pós-modernismo. O homem, como sujeito articulador, na sua vã e falível vontade gerou e produziu estes pensamentos filosóficos que se transformaram na HISTÓRIA contada hoje.

E a história nos mostra uma série de erros e acertos, mais erros até do que acertos, de seres que fizeram visíveis a sua trajetória. Embora seus caminhos os parecessem bom eram caminhos de morte. Para uns, o caminho de morte física, para outros a morte poética e filosófica e para a grande maioria a morte espiritual.

O resultado das ideologias do homem fez com que estes períodos literários representassem aquilo que eles estavam vivendo naquele determinado momento. O homem do Barroco, que não sabia se ele e sua obra eram sacras ou profanas, caminhava entre retas e curvas entre trevas e luz. Morria dentro de seus conflitos. O homem do Romantismo, cheio de individualismo e subjetivismo, mas cheio de imaginação e fantasia. Morria dentro de suas ilusões. Já o homem modernista, que queria a liberdade absoluta de sua expressão. Morria na sua identidade critica nacionalista.

E finalmente, hoje, o olho do furacão pós-moderno. Seres que vivem um individualismo narcisista onde o centro do universo é ele, uma mistura de Iluminismo com Arcadismo, como aquele que precisa que todas as coisas girem em torno dele e para ele. Como uma criança em seus dois anos de idade onde não há distinção de sujeito e objeto. Onde o objeto é extensão do sujeito, logo temos sempre a clássica frase: “Meu, é meu!”

Períodos históricos e literários que expressaram a vontade do homem de ser um ser relevante, não importando suas escolhas e consequências. Não importando o caminho a ser tomado. O caminho a ser seguido.

Mas houve aqueles que resolvem nadar correnteza acima, como peixes nadando contra a maré. Homens que se destacavam em meio aos seus períodos justamente por discordar da atuação da sociedade na qual viviam. Homens que marcaram o seu tempo por pensarem a frente dele. Homens que marcaram seu tempo por verem que o caminho a ser tomado era um caminho sem volta. Um caminho de graça, embora tivesse que passar por momentos de luta, sofrimento e dor com a convicção de que sua meta seria alcançada.

Homens que decidiram ou foram decididos pela inconformidade a qual viviam. Incomodados pelas injustiças. Incomodados pelo calor que ardia em seus corações. Homens como Francisco de Assis e Paulo de Tarso e como muitos outros que atuam na sociedade tirando das trevas pessoas que tinham, ou melhor, não tinham mais esperança. Homens que decidiram que o caminho era estreito e mesmo assim não desistiram de permanecerem nele.

Aqueles que depois de alcançados pela Graça ainda que sabendo que devido as suas convicções, Cristo razão da sua e minha existência, morreriam biologicamente, mas por terem sido alcançados viveriam para morrer na certeza de que como foram alcançados pela graça não conseguiram se conter e espalhariam a riqueza da mensagem do evangelho da transformação: O evangelho de Cristo e a mensagem da Cruz.

Assim também quero ser tão relevantes como estes homens e também mulheres o foram. Não importando como, se sorrindo ou se chorando, chegarei ao meu destino. Chegarei a Yeshua. “Os caminhos de Deus sempre serão melhores que os meus”, pois enquanto o Senhor colocar suas Palavras em mim, Ele mesmo me levará a pessoas que precisam ouví-las. Yeshua, autor e consumador da minha fé, aquele que é O CAMINHO!

Shalom

Everson, simplesmente Everson.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Cristianismo Inteligente - III


Somente quem tem o fruto do Espírito pode ter um bom nome e ser um bem aventurado no Reino de Deus

Uma das coisas que mais me alegram no Senhor é a sua Soberania. Saber que nada pode ser comparado a Sua presença me faz ver o quanto Ele nos atrai. “Não devemos colocar nada entre nós e Ele. Nem família, nem trabalho, nem igreja, nada, nada mesmo pode se colocar entre meu relacionamento e D’us”. Mas isso seria raso demais. Falar isso é o que todos já sabem. Eu quero ir além.
Quando vejo que meu relacionamento com o Senhor é intenso, genuíno e continuo, o meu relacionamento com a minha família, trabalho, amigos e igreja passa a ser parte integrante deste meu relacionamento com D’us. Ao invés destas coisas estarem entre eu e D’us, elas passam a estar comigo e D’us.
Não consigo deixar de ver Cristo em tudo o que faço. Todo o meu relacionamento com o que está ao meu redor é o resultado de ver através dos olhos de Jesus: Cristianismo Inteligente!

Como assim? Simples. Tudo que está ao meu redor é de Jesus. Não existe nada que não o pertença. Da Paz a Guerra. De Cabo Frio a Jerusalém passando pela Faixa de Gaza. Tudo é d’Ele. Logo, o meu relacionamento com o outro e com o planeta passa a ser um relacionamento com a VONTADE SOBERANA de D’us: SUA CRIAÇÃO!

E como criação, somos chamados a sermos filhos pelo Espírito de Adoção no qual chamamos o Eterno de PAI. Passamos a ter uma boa fama no Reino e a produzimos frutos relevantes.
Foi a partir daí que começamos o estudo em Deuteronômio 10:22 e Mateus 5:3,5,6,10.

Deuteronômio 10:22
Ele é o teu louvor e o teu Deus, que te fez estas grandes e terríveis coisas que os teus olhos têm visto.

O senhor é o meu louvor. Quem estuda Letras aprende como ler e interpretar de um texto complexo e científico a uma sentença simples e fácil.
Ao lermos “Ele é o teu louvor e o teu Deus”, a priori parece que nossas canções têm sempre de ser D’us. Musicalmente falando. Mas quando analisamos estruturalmente vemos que o senhor ser o meu louvor vai além. Vai até o meu nome. Vai até quem eu sou e o que faço.

Ou seja, o nosso nome não é nada, e os meus feitos não têm valor nenhum, se olharem para mim como se eu, Everson, o tivesse feito por força própria. A honra e o louvor das obras que fiz não são por minha causa. O meu bom nome não é por minha causa. O meu bom nome se dá pelo Senhor. O que sou no meu serviço, na escola, faculdade, família, amigos e na igreja é resultado de Jesus em mim.

Ele faz o meu nome ser o que é por causa d’Ele. Ele é o meu bom louvor. O meu bom nome. A minha reputação. O meu nome passa a ser respeitado pelo que o Senhor fez e faz através de minha vida. O próprio Senhor dialogando através de mim com sua criação e filhos. SALVAÇÃO e EVANGELISMO. Soli Deo Gloria.

Resultando sempre em frutos, frutos agradáveis e saborosos a Ele. O próprio fruto do Espírito.

Vemos em Mateus 5:3.
Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus;
Quando paro para ver este versículo, é impossível não ver Jesus nele. Friamente, poderíamos dizer que não. Que para ter o reino dos céus eu somente precisaria ser humilde de espírito. Só que ser humilde de espírito somente é possível vir através de D’us manifestado no seu filho Jesus.

Quem é humilde tem humildade. Humildade é segundo o dicionário a capacidade de reconhecer os próprios erros, defeitos ou limitações; demonstração de respeito, submissão. Só reconhecemos nossos erros e defeitos e demonstramos respeito e submissão quando somos cheios do Espírito Santo. É impossível sermos humildes de fato e de verdade se o Senhor não nos convencer da necessidade de termos Ele, Jesus em nós. 
Logo, o reino dos céus não é para aquele que simplesmente vive por ai, ao seu bel prazer.  O Reino é para aqueles que o Pai através de Seu Espírito os convenceram. Sem Cristo não há humildade de espírito.

E Mateus 5:5
Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra;

Ser manso, ter mansidão. Parte do fruto do Espírito. E mansidão não é se tornar bobo, patético e bitolado. Ser manso é ter a capacidade de reconhecer o seu erro e voltar e dar a outra face sabendo reconhecer o seu erro e se deixar expor pelo erro para que aja concerto. Sem Jesus é impossível ter atitudes como esta.

Em Mateus 5:6
Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos;
De que justiça teríamos fome se não fosse colocado em nós o Seu Espírito, Senhor? A justiça do Senhor está em olhar para nós e vendo em nós nenhuma capacidade própria de buscar a verdade e a santidade lançar seu filho ao madeiro para que através do seu sacrifício recebêssemos por graça a revelação de toda a obra salvífica de D’us. Sermos justificados por sua vontade Soberana. Por isso, eu tenho fome e sede de justiça, porque Ele, Ele mesmo, colocou-as em mim. E ele mesmo me fartará através de Yeshua.

E finalizamos com Mateus 5:10
Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus;

É incrível que quando entendemos o que é justiça de D’us passamos a ser perseguidos por, principalmente, aqueles que não crêem na SOBERANIA de D’us. Não são apenas os que não crêem em Jesus apenas, somos muito mais perseguidos pelos da casa, pelos irmãos que não compreendem o que é JUSTIFICAÇÂO, REDENÇÂO e ELEIÇÃO.

Deus é soberano e Ele está no controle de tudo. Somos bem-aventurados por termos sido escolhidos por Ele e sermos cheios do Espírito Santo. Que nossas bem-aventuranças sejam recheadas dos frutos do Espírito.

A Ele toda a glória, louvor e soberania.

Everson Tavares, agradecido ao Eterno!

Feliz aniversário!

Neste mês tivemos os aniversários de Igor "Playdisco" Cordeiro, Andressa Valadares e Fred "Dancer" Alves.

Igor e sua futura ex-namorada - SERÁ ESPOSA!

Fred e seu quarto amor

Andressa: "Obrigado Senhor ..." Sua canção
Que o Senhor os abençoe muito e a manifestação do fruto do Espírito seja notória em toda a vida de vocês.

Um forte beijo a todos

Shalom

Everson Tavares, servo de vocês.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Cristianismo Inteligente - Ler para aprender!


Cristão que não pensa é um indivíduo manipulável



Em nossa célula de discipulado continuamos nosso estudo sobre Cristianismo Inteligente iniciamos a leitura do evangelho segundo escreveu Mateus, capítulos 1-5.

1º Ponto – Temos no capítulo 1, versos 1-17 a genealogia de Yeshua. Alguém que gerou alguém que gerou alguém. Sempre gostei de ler sobre genealogias, e muitos até acham que estão na bíblia e não servem para nada. Engano deles!!! Ensinam-nos muito e um dos ensinos aplicados na célula foi: Quem temos gerado? Se estamos gerando discípulos, se estamos ensinando alguém como tocar algum instrumento para que um dia venha a fazer o mesmo para alguém. Temos netos na fé? Será que geramos vidas? E além de gerar vidas será que estamos "EDUCANDO" espiritualmente, emocionalmente e intelectualmente?

2º Ponto – Capítulo 1, versos 21 e 22 – Será que temos produzido salvação. Será que nossos frutos são frutos de arrependimento os quais geram vida. Será que temos gerado salvação, assim como Maria gerou Yeshua, o salvador.

3º Ponto – Capítulo 2, verso 1 – Reproduzimos coisas sem nunca pararmos para pensar: Quantas vezes falamos que três reis magos visitaram o Senhor, se na verdade eram só magos e não reis. E quando cantamos “levante do chão e erga o clamor:  – restitui, eu quero de volta o que é meu...” Creio que o autor da letra esqueceu-se de ler Romanos 11 versos 33-36, principalmente o verso 35: “Ou quem primeiro deu a Ele para que lhe venha a ser restituído?” Quem somos nós para fazer como a teologia da prosperidade declara:  Determine! É seu direito! Ou D’us faz ou faz!” – Sinto muito, mas não consigo ver o Criador do Universo sendo colocado no canto da parede e tendo que ouvir minhas exigências. Ele é SOBERANO! Ele faz do jeito que quiser! Nele está o querer e o efetuar!! Acredite, prefiro cantar “Aquarela” de Toquinho a cantar estes tipos de músicas. Fora aqueles em que ouvimos que nossos inimigos comerão em nossas mãos, vitória com sabor de mel etc. Cânticos vingativos!! Estou FORA! A vingança é do Senhor! E cabe a Ele fazer a justiça! E mais o meu Mestre me ensina a amar meus inimigos e a abençoá-los! E termino este ponto dizendo: Como surpreender a D'us se Ele sabe de todas as coisas, o meu deitar e o meu levanter, e como diria o salmista e rei Davi no salmo 139: 1-8

 SENHOR, tu me sondaste, e me conheces.
Tu sabes o meu assentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento.
Cercas o meu andar, e o meu deitar; e conheces todos os meus caminhos.
Não havendo ainda palavra alguma na minha língua, eis que logo, ó SENHOR, tudo conheces.
Tu me cercaste por detrás e por diante, e puseste sobre mim a tua mão.
Tal ciência é para mim maravilhosíssima; tão alta que não a posso atingir.
Para onde me irei do teu espírito, ou para onde fugirei da tua face?
Se subir ao céu, lá tu estás; se fizer no inferno a minha cama, eis que tu ali estás também.



4º Ponto – Capítulo 2, verso 13 e 14 – Embora o Egito seja sinônimo de sistema secular e mundano, não foi uma ou duas vezes que o Senhor direcionou o seu povo a trabalhar e a viver nele (Egito). O próprio filho d’Ele, Yeshua foi levado para por um tempo habitar lá. Isso nos ensina que há situações em que devemos nos alegrar por trabalharmos em certos ambientes nos quais não tem por cabeça um chefe servo do Altíssimo. Trabalho numa escola cuja dona não era evangélica, e o atual responsável tão pouco o é, mas nunca tive atrasos no meu pagamento, nas minhas férias e nos meus direitos. Contudo me lembro que no início da minha conversão eu tinha um receio de trabalhar num lugar onde há uma imagem de “Santa Rita de Cássia” e eu quase não fui trabalhar pelo “bitolismo evangelicional”. D’us nos leva a sermos luz no mundo. Luz no Egito. Luz no trabalho secular.

5º Ponto – Capítulo 3, versos 1-3 – Temos pregado o verdadeiro evangelho, onde se prega o arrependimento da obras mortas? Será que como ministros do louvor nós temos levado o povo a entender o que é arrependimento? Será que o nosso papel de preparar o caminho e endireitar as veredas tem sido colocado em prática?

6º Ponto – Capítulo 3, verso 11 – Batizados no Espírito Santo e no fogo – Lembrando que sermos batizados no Espírito Santo em muitos casos não tem nada a ver com recebimentos de dons.  Porque o que mais vemos por aí e um número absurdo de “crentes” pentecostais que falam 300 línguas estranhas, mas FRUTO do ESPÍRITO que bom é, e D'us gosta, não tem nenhum!
Meu maior modelo é Yeshua e Ele quando foi batizado pelo Espírito Santo não saiu falando em replé-plé. (Não tenho nada contra o falar em línguas, eu o faço. Creio nos carismas – só não vejo que tenha validade alguma falar em línguas se minha vida continuar com mentiras, sem caráter e sem santidade)
E mais ser Batizado pelo Espírito Santo me leva ao batismo de fogo – provações, tentações e tribulações – para que eu produza frutos. Para que meu azeite seja sempre o mais puro. Para que haja luz em meu candeeiro. Batizado no fogo não tem nada a ver com PODER! Poder vem do batismo no Espírito Santo.

7º Ponto – Capítulo 4, versos 1 ao 11 – Se a Palavra de D’us diz que D’us não pode ser tentando, como Yeshua foi ser tentado no Deserto? Resposta: Ele não veio como 100% homem e 100% D’us, Ele veio somente como homem! E o próprio João diz que aquele que não confessar que o Filho de D’us veio como homem este tem o espírito do enganador. E ter sido homem não o menospreza, mas o contrário, o ELEVA ao máximo que um ser humano poderia chegar. O de amar como D’us. E isso me faz ficar mais apaixonado por Ele, me faz deleitar em saber que Yeshua, o filho de D’us se entregou como homo sapiens. E me amou até a morte e morte de CRUZ. A Yeshua toda a honra, glória, louvor e majestade!

Bom estes foram os pontos que estudamos na última célula.

Shalom

Everson Tavares, buscando nas Escrituras a razão da minha vida: Viver a verdade! 

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Caráter! Ouvir e não praticar, do que adianta?

Nestes dias tenho sentido MUITO a falta de um casal que foi de EXTREMA relevância na vida de minha esposa e na minha também: Ev. FERNANDO e Dca.SOLANGE. Ambos foram nossos professores na ESCOLA DE INTERCESSÃO, onde fomos RICAMENTE confrontados e abençoados.

Logo se tornaram nossos amigos!!

Sinto falta deles como amigos e como discipuladores natos que são. Foram para Belo Horizonte onde estão congregando no Har Tzion, Comunidade Judaico Messiânica, sob a direção do Rabino Marcelo Guimarães.

Volta e meia eles aparecem por aqui, num feriado prolongado, nas férias ou quando a saudade aperta.

Sinto falta de suas falas, tais como: "Esta criança não tem pai não?", "Que heresia, crente!!!" entre muitas.

Saudades das orações da Solange. Das conversas sobre o Reino e sobre coisas relevantes, sem aqueles jargões "evangelicionais". Papo de gente que sabe quem é em Cristo e que não precisa ficar se auto justificando com tais jargões.

Sinto falta de quando na casa deles pegar o controle remoto e mudar de canais enquanto minha esposa, Fernando e Solange estavam comendo pizza e conversando sobre minha cabeça dura. Ainda escuto aquela frase: "Desviou, crente, não tem TV em casa não!" - risos.

Sinto muita saudade dos momentos que tivemos aqui. Mas o que MAIS me faz falta é o CARÁTER de pessoas como eles. Pessoas que só faziam o que falavam. Pessoas que não te fazem promessas e esquecem delas, ou pior, na sua frente tem um discurso e quando esta com outros tem outro discurso.

Sinto falta de ouvir seus bons conselhos, porque sabia que junto de seus conselhos havia a realidade da vivência do genuíno EVANGELHO. "Faça o que eu falo, assim como faço o que Cristo Yeshua Falou!!!"

Gosto de saber que não só falavam, mas ouviam. E quando o que falamos era algo que podia gerar transformação víamos que eram capazes de ouvir e mudarem seus pontos de vista. Diferente de muitos que conheço.

Prova disso é que estão em Belo Horizonte estudando e se aprofundando na TEOLOGIA JUDAICO MESSIÂNICA. Vão longe!!! Muito longe!!!

Enfim, ter caráter é ouvir e praticar aquilo que foi ensinado segundo as ESCRITURAS. Pois, do contrário, ouvir e não praticar, do que adianta?

Shalom


Everson, saudades dos meus amigos!


quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Cristianismo Inteligente




Nesta semana começamos a série de estudos: Cristianismo Inteligente. Baseado em Romanos 12:1-2

“ROGO-VOS, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.”
"E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” Rm12:1-2

Neste fim de semana li um livro chamado “Crer é também pensar” do Pr. John Stott (Falecido em julho de 2011) onde ele trata do entendimento a cerca de um Cristianismo não apenas baseado nas experiências transcendentais, mas principalmente na leitura e compreensão das doutrinas bíblicas do Cristianismo. Entender e aplicar na vida o intelectualismo. A razão da fé!

Por que comecei esta série de estudos? Porque cansei de ver uma grande parcela de irmãos alienados e bitolados acerca do Cristianismo. Irmãos que constroem suas vidas numa visão onde tudo que não é da Igreja é pecado. Onde se usa um par de óculos espiritual e vê o mundo, planeta e seus habitantes, como sendo tudo do diabo, baseando-se no versículo onde o Messias diz que o mundo jaz no maligno. Não o mundo como biológico mas como sistema! Foi o que o Senhor implicou ali.

Chega de endemonizar tudo que não está no círculo de conhecimento da pessoa. Pessoas que acham que tudo que é criado fora da Igreja é do demônio. Deixa me explicar uma coisa: O diabo não tem poder criativo. O que ele faz é roubar, matar e destruir. Apenas isso! O único capaz de Criar é D’us e Ele colocou em nós dons e talentos os quais são usados por nós para criarmos algo. Tudo que criamos, lembrando que criar, é dar vida a algo, é engendrar coisas que sejam realmente relevantes.

Como vou dizer que lindos poemas de Carlos Drumonnd de Andrade são obras de demônios, quando vejo ali um talento que só o Senhor poderia dar. Como vou dizer que canções como What a Wonderful World de Louis Armstrong é uma criação de satã. Músicas clássicas orquestrais então? Logo teria de afirmar que satanás vê o mundo, não sistêmico, mas biológico como lindo e admirável.  Fato contrário as suas atribuições.

Quero que me entendam que não estou direcionado você a ler mais Drummond do que a Palavra, a ouvir mais Louis Armstrong que Leonardo Gonçalves ou Stênio Marcius. NÃO! Mas cá entre nós, o mundo evangélico está tão carente de boas músicas, aquelas que nos elevam ao deleite de ao mesmo tempo em que adoramos o Senhor, nos deliciarmos nos bons arranjos, harmonias e técnicas apuradas.

Leitura, então, está cada vez mais difícil tolerar livros como: 7 passos para a vitória, 15 degraus para o sucesso, 350 dias para o sobrenatural...e vai por ai. Como o meio pentecostal e neo pentecostal está se perdendo! Poucas leituras têm me agradado, o que me leva aos grandes e ótimos John Stott, Francis Schaeffer e H.T. Rookmaaker entre Charles Spurgeon and Jonathan Edwards.

Sabe o que leva as pessoas a terem a visão endemonizada de uma boa leitura extra bíblica, ou de aprofundamento cientifico e intelectual? A falta de fundamentos bíblicos cristológicos os quais não nos deixam desamparados ao entrar numa sala de faculdade e após sermos exposto a explicações com teses contrárias a nossa fé nos tornarmos “desviados” ou apostatas.

Cristo Jesus, Yeshua o messias é o meu firme fundamento e Suas obras feitas na sua encarnação e através da Igreja através de sua ressurreição pelos séculos posteriores. Diria eu que Lutero, Calvino, John Wycliffe, John Knox entre outros não são relevantes? Seria burrice e estupidez!

Vamos fazer como estes e muitos grandes homens e mulheres de D’us. Vamos pensar! Estudar e crescer para desenvolvermos uma visão Cristã ou Messiânica do mundo.  Uma visão onde o foco é elevar aquilo que o senhor nos deu para renovar o nosso entendimento, nossa alma! Criemos, pois, ótimas obras com os nossos talentos e dons. E deixemos de endemonizar tudo aquilo que não é da igreja.

Não estou com isso te falando para ir correndo a loja e comprar CDs do Calipso, ou o livro de Paulo Coelho, que em minha opinião nem é o tão bom escritor que pintam.

O que eu quero que entendam que nem todas as músicas e literaturas seculares são obras demoníacas, embora existam muitas, e que você não estará sendo um pecador destinado ao inferno, ou estará sendo ministrado por forças demoníacas se ouví-las ou Lê-las. Embora, eu não tenha o hábito de ouvir músicas seculares. O que quero é desmistificar a ideia cauterizada nas mentes de muitos de que ouvir e ler sobre aquilo que não é considerado como obra cristã é pecado.

Paulo, em sua carta em 1 Coríntios 6 : 12 diz: Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma.

Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixo DOMINAR por elas. Se você não é maduro para ler um Friedrich Nietzsche, não leia. Se você não é maduro o suficiente para ouvir João Gilberto, não ouça. Só não me venha dizer que tudo isso é coisa de satanás!

Normalmente falamos que é de satanás e é do mundo porque queremos escapar da RESPONSABILIDADE de desenvolvermos aquilo que o Senhor, Criador dos Céus e da Terra, a mente mais brilhante do universo nos deu: a mente! O entendimento! Para aplicarmos o Cristianismo em nossas vidas de forma a elevar o nível de entendimento e educação de nossos liderados, membros e irmãos.

Baruch HaShem

Shalom

Everson

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Arrependimento e músicos no altar



CONFISSÃO DE PECADOS PARA MÚSICOS E SÚPLICA POR ARREPENDIMENTO

1- Confessamos e suplicamos arrependimento por termos nos desviado do Senhor Deus e da essência de nosso chamado;

2- Confessamos e suplicamos arrependimento porque muitos de nós "ministramos" sem ter certeza da salvação, sem ter passado pelo  Novo Nascimento;

3- Confessamos e suplicamos arrependimento porque misturamos nossas iniquidades ao ajuntamento solene causando repulsa ao Senhor Deus;

4- Confessamos e suplicamos arrependimento por considerarmos a Casa de Deus um lugar comum e não uma Casa de Oração;

5- Confessamos e suplicamos arrependimento porque não vamos ao culto para adorar humildemente mas para "sermos vistos pelos homens";

6- Confessamos e suplicamos arrependimento porque não usamos os dons que recebemos do Espírito Santo de Deus para servir a Igreja mas para nos exaltarmos acima de nossos irmãos;

7- Confessamos e suplicamos arrependimento porque ousamos tentar preencher a ausência do Espírito Santo nos cultos com nossas performances pseudo-piedosas;

8- Confessamos e suplicamos arrependimento porque nos últimos vinte ou trinta anos nossas músicas e ministérios não tem produzido temor e conhecimento de Deus, nem mais santidade em nós e em nossos irmãos, nem conversões genuínas, e muito menos promovido a glória devida ao Senhor nosso Deus;

9- Confessamos e suplicamos arrependimento porque se o meigo Filho de Deus entrasse hoje em nossas reuniões Ele quebraria nossos instrumentos, derrubaria no chão nossos equipamentos de som e chutaria nossos holofotes e diria: "Tirem daqui essas coisas! A Casa de meu Pai não é lugar de show!";

10- Confessamos e suplicamos arrependimento por que não honramos a Palavra de Deus em nossas canções mas temos ensinado todo tipo de coisa estranha, humanista, antropocêntrica, sensorial, sensual, que nada tem a ver com a sã Doutrina;

11- Confessamos e suplicamos arrependimento por gostarmos de ser tratados como "ídolos" por nossos pobres irmãos e de ver que eles se aproximam de nós tremendo para pegar autógrafos como se fossemos "celebridades";

12- Confessamos e suplicamos arrependimento porque chegamos depois que o culto começa e saímos antes que acabe pois se nossos irmãos conseguirem falar conosco, saberão que somos vazios e tudo em nós é só aparência;

13- Confessamos e suplicamos arrependimento porque mercadejamos nossos dons, talentos e ministérios, trazendo desonra e escândalo ao Deus que dizemos servir;

14- Confessamos e suplicamos arrependimento porque somos semelhantes a Igreja de Laodicéia; pensamos ser ricos, abastados não precisando de coisa alguma, e nem imaginamos que somos infelizes, miseráveis, pobres, cegos e nus;

15- Confessamos e suplicamos arrependimento porque tiramos o púlpito de nossas igrejas, elevamos as plataformas, enchemos tudo com canhões de luz e criamos coxias e assim o ensino e pregação da Palavra de Deus ficou em 3º ou 5° plano;

16- Confessamos e suplicamos arrependimento porque embora cansados e empapuçados com nossas canções e ministérios não temos a coragem de parar, refletir e ver aonde tudo isso tem nos levado a nós e ao pobre povo que ainda ouve nosso badalar de sino;

17- Confessamos e suplicamos arrependimento porque temos roubado a glória que só ao Senhor Deus pertence e temos  acumulado sobre nós mesmo terrível juízo;

18- Confessamos e suplicamos arrependimento porque deveríamos "pendurar nossas harpas nos salgueiros e chorar junto aos rios de Babilônia" até que a Igreja do Deus vivo fosse expurgada de toda a vaidade que promovemos no meio dela:

19- Confessamos e suplicamos arrependimento porque deveríamos parar com tudo o que estamos fazendo e talvez passar um ano ou mais cantando só os hinos tradicionais ao som do órgão até que sejamos convertidos e restaurados pelo Senhor Deus;


Que o Senhor tenha misericórdia de nós!

Fonte: http://stmarcius.blogspot.com/