Total de visualizações de página

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Por que a Igreja celebra a sexta da paixão, onde Cristo foi morto, e no domingo a Páscoa, se ele foi traído após a noite de Páscoa?

Por anos celebrávamos a Páscoa dominical como se fosse algo divino. Como se estivéssemos cumprindo com Palavra. Até que veio a seguinte pergunta: "Por que a Igreja celebra a sexta da paixão, onde Cristo foi morto, e no domingo a Páscoa, se ele foi traído após a noite de Páscoa? Há, por acaso duas Páscoas anuais?"


Foi depois de analisar e estudar a Palavra que vi o quanto estava distante das verdades bíblicas no que concerne a Páscoa. 


Não vou falar sobre o assunto aqui porque já postei artigos anteriores sobre isso. O que venho fazer hoje é questionar o porque da Igreja Evangélica teimar em realizar uma páscoa, a qual não é a verdadeira, numa data diferente da bíblica.


Atente para o que nos foi forçado a engolir através de Roma. Lutero, Calvino e companhia foram homens de D'us mas que não romperam com certos vínculos romanos, vivenciados ainda hoje pela Igreja.


A verdadeira Páscoa, no ano de 2011, é hoje, dia 18 de abril, virada do dia, a partir das 18:30, 19:00!


Ou voltamos a seguir o calendário bíblico, ou viveremos a sombra de Roma!


Chag Pessach Sameach
Feliz Páscoa


Shalom


Everson Tavares, vivendo o que a Palavra ensina!



Um comentário:

  1. Eu creio, irmão querido, que vivemos, Igreja, uma "evolução" ao "regredirmos" à Instrução.

    Pode parecer conflitante, mas não é.

    Constatei isso pelas próprias palavras abençoadas do Rosh Matheus (Ensinando de Sião)num estudo da Palavra dirigido pelo mesmo.

    Voltarmos aos princípios bíblicos...

    Guie-nos, Espírito do Eterno, ao entendimento da Tua vontade, Pai!

    ResponderExcluir