Total de visualizações de página

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Graça - Sem ela eu não vivo



Trecho do livro "Despertar da Graça" de CHARLES R. SWINDOLL
 "O que exatamente é graça? Ela está limitada ao ministério e à vida de Jesus? Você vai se surpreender ao descobrir que Jesus nunca usou essa palavra. Ele simplesmente a ensinou e, igualmente importante, ele a viveu. Além disso, a Bíblia nunca nos dá uma defi nição em uma única frase, embora a graça apareça em todas as suas páginas — não apenas a palavra em si, mas numerosas demonstrações dela.
Entender o que signifi ca graça exige que voltemos a um velho termo hebraico que signifi cava “curvar, dobrar-se”. Com o tempo, passou a incorporar a ideia de “favor condescendente”.

Se você já foi a Londres, talvez tenha visto a realeza. Se já foi até lá, você deve ter notado a afetação, a indiferença, o distanciamento. Em algum momento, a realeza da Inglaterra vai virar notícia porque um dos nobres vai parar, ajoelhar-se e tocar ou abençoar um plebeu. Isso é graça. Não há nada no plebeu que o torne merecedor de ser notado, tocado ou abençoado pela família real. Contudo, por causa da graça no coração da pessoa da realeza, existe naquele momento um desejo de parar, curvar-se, tocar e até mesmo abençoar.

O falecido pastor e estudioso da Bíblia Donald Barnhouse talvez tenha expressado melhor a idéia: “O amor que vai para cima é
adoração; o amor que vai para fora é afeição; o amor que se curva é graça”.
3
Mostrar graça é estender favor ou bondade a alguém que não a merece e que nunca poderá fazer nada para ganhá-la. Receber a aceitação de Deus pela graça sempre se coloca em fortíssimo contraste com a tentativa de obtê-la com base nas obras. Todas as vezes que surge o pensamento sobre a graça existe a idéia de ela
ser imerecida. De modo algum o recipiente está recebendo aquilo que merece. O favor é estendido simplesmente em razão da bondade presente no coração do doador. "

3-Romans, Man’s Ruin, vol. 1, p. 72.

Nenhum comentário:

Postar um comentário